BRASILEIRO SE APOSENTANDO NA ESPANHA

O que é necessário para se aposentar na Espanha?
















Trabalhou formalmente no Brasil e na Espanha? E agora? Como me aposento?

A primeira questão que o segurado precisa entender é que o profissional especializado vai poder visualizar todas as possibilidades existentes e auxiliar na escolha mais vantajosa de forma personalizada.

Dessa maneira, é preciso avaliar o passado, o presente e as metas para o futuro para melhor guiar o segurado nesta trajetória em busca da melhor aposentadoria.

A Espanha oferece diversas modalidades de aposentadoria. Dessa maneira, buscamos organizar as informações para que você possa compreender a necessidade de buscar um profissional especializado para planejar sua aposentadoria.




Acordo Brasil Espanha





Se o brasileiro quiser se aposentar na Espanha

O brasileiro precisa preencher os requisitos do tipo de aposentadoria que vai se enquadrar, podendo ou não levar o tempo que trabalhou no Brasil.

Lembrando que existem detalhes bem importantes que impactam diretamente no valor do benefício quando o tempo é levado de um país para outro, por tanto, nem sempre o caminho mais fácil é o mais vantajoso.







Como levar tempo de contribuição para a previdência na Espanha?

Existe um acordo de previdência que pode ser aplicado para quem deseja levar o tempo contribuído no Brasil para a Espanha, por meio do convênio ibero-americano.

Após o reconhecimento dos períodos, pela Espanha, a aposentadoria será paga de forma FRACIONADA – CADA PAÍS VAI PAGAR PROPORCIONALMENTE À SUA QUOTA-PARTE.

Salienta-se que o período precisa ser reconhecido pelos dois países em seus órgão correspondentes, quais sejam: o Centro de Atención e Información de la Seguridad Social (também chamado INSS) ou, no caso de trabalhadores de regime especial do mar, nas Direcciones Provinciales del Instituto Social de la Marina. e no INSS, via organismos de ligação, as agências internacionais.







O que é necessário para se aposentar na Espanha?

Cuidado ao analisar os períodos de contribuição, pois são incluídos no cálculo tempos as “situações de alta assimiladas”, como situação de desemprego involuntário; pessoas em situação de prisão; afastamento para cuidado de filhos e outros.

jubilación ordinaria; tempo trabalhado no regime geral mais idade (65 anos quando tiver 37 anos e 3 meses de contribuição ou mais; e 66 anos, quando tiver menos de 37 anos de contribuição)

regimes especiais: categorias profissionais, como trabalhadores por conta própria ou autônomos, trabalhadores da mineração de carvão e trabalhadores do Mar.







Não foi desta vez! E agora? Quais as outras opções?

Deixe a preguiça de lado e treina o espanhol analisando as situações abaixo:

Por fim, em Junho de 2020, foi aprovado o Ingresso Mínimo Vital, para famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade que não se enquadram nas demais regras.










Entrar em Contato
Advocacia Previdenciaria
Advogada Kelli Menin